O presente texto foi organizado a partir de duas cartilhas já existentes: Trofobiose – Novos Caminhos para uma Agricultura Sadia, publicado em conjunto pelo Centro Ecológico e pela Fundação Gaia, e Biofertilizantes Enriquecidos, redigida pela equipe do Centro Ecológico. A estes textos se somaram outros materiais, elaborados para uso nos cursos de formação que o Centro Ecológico realiza.

O que aqui nos propomos é instrumentalizar agricultoras, agricultores e demais interessados na prática da Agricultura Ecológica.
Nele iremos abordar alguns elementos básicos para que o nosso entendimento sobre a agricultura e seus processos possa ser orientado com bases mais sustentáveis.

Um conhecido romancista francês disse certa feita que “a verdadeira viagem do descobrimento não consiste em vislumbrar novas paisagens, mas sim em ter novos olhos”. Disto se tratam estes apontamentos. A paisagem é a mesma: solo, sol, chuva, nutrientes, plantas, insetos, fungos. O que aqui propomos é um novo olhar, um novo enfoque. Não é apenas sol e água, mas energia que incide em nosso agroecossistema. Não mais pragas, mas indicadores de manejo. Não mais inços, ou ervas daninhas, mas plantas que nos falam da sucessão vegetal e possuem a capacidade de repor matéria orgânica em nossos solos.

Ao escrevermos um texto de cunho técnico não queremos reduzir a Agricultura Ecológica apenas aos seus aspectos produtivos. Queremos, sim, enfatizar a importância de nos (in)formarmos para efetuarmos as escolhas que nos levarão a construir a sociedade mais justa e harmônica que desejamos.

Sabemos todos que muitas de nossas escolhas, mesmo as mais simples, possuem um cunho político, colaboram no desenho de uma determinada forma de organização social. Assim, escolher entre a uréia e o biofertilizante para fornecer o nitrogênio que meu cultivo necessita é uma decisão que vai além do técnico-agronômico e abarca também dimensões ambientais e políticas. E neste livreto abordamos os princípios básicos que nos permitem optar por tecnologias limpas, baratas e independentes do complexo industrial que hoje comprime a agricultura.

Muito se tem dito que estamos hoje em uma encruzilhada civilizatória. O caminho que iremos tomar nesta encruzilhada depende de nossas opções cotidianas. Devemos assumir nossas responsabilidades na construção de um mundo mais justo, tanto social quanto ambientalmente. Aqui, modestamente, desde o ponto de vista técnico-agronômico, esperamos estar contribuindo para isto.

Clique aqui e acesse a cartilha Agricultura Ecológica – Princípios Básicos